O que EU penso sobre trabalho na adolescência

gfgfOlaaaa! Hoje vim falar sobre um assunto que muitaaaa gente vem conversar comigo desde que eu arrumei meu primeiro emprego, vale ou não a pena trabalhar antes dos 18 anos? E minha resposta é: depende.

Eu vivi meu primeiro ano de ensino médio como uma adolescente normal, indo para a escola, fazendo cursos e ficando em casa a tarde toda, até o finalzinho deste mesmo ano, quando eu sismei que precisava de um emprego de qualquer forma.

Então lá fui eu atrás do bendito emprego, e não é que encontrei bem rápido? Fui contratada em janeiro de 2014, com data de demissão prevista para 30 de abril de 2015 (É TEMPO PRA CARAMBA!), e fui bem feliz começar o meu curso, que futuramente me encaminharia para o meu trabalho.

Se eu me arrependi? A minha experiência com o primeiro emprego me mostrou que não, não é necessário se ter um emprego antes de terminar o ensino médio. Mas a minha experiência foi super diferente da de muitos amigos meus, por exemplo, no momento em que ganhei meu primeiro salário, todos os gastos dos meus pais comigo se anularam automaticamente, ou seja, meu salário não servia para o que a maioria dos adolescentes quer um salário: roupas, festas, cinema, decoração, livros e etc, mas sim para pagar o guarda roupa novo, meus remédios, consultas médicas, comida (digo besteirinhas que antes tinha o luxo de ganhar todo mês quando minha mãe fazia as compras) e até mesmo produtos de higiene como desodorante e essas coisas todas.

Mas eu nunca reclamei, pagava tudo bem quietinha com meu meio salário minimo, e sempre gostei bastante na verdade, de saber que tudo que eu tinha a partir daquele momento era mérito meu e de mais ninguém. Mas então o que me faz achar que trabalhar nessa idade não vale a pena?

Sim, quem disse “a Fernanda é preguiçosa, deve ser o cansaço”, acertou. Porque é exatamente esse o motivo que me faz contar os dias para o dia 30 de abril. Eu não tinha percebido muito bem o que me afetava tanto, a escola ou o trabalho, no começo pensava que era o trabalho, pois sempre estudei e nunca vivi tão no modo zumbi que esta com sono 100% do tempo, se arrasta pela casa achando vontade de estudar para uma prova importante e não tem vontade de fazer nada da vida (eu não sou depressiva gente, só cansada hahah).

MAS, ai, chegaram as queridas férias de verão, três meses longe da escola, mas mesmo assim, três meses de trabalho. Pra quem não sabe, meu horário de trabalho é das 13:30 as 17:30 horas, mas nas minhas férias da escola, eu trabalhava das 08:30 até as 12:30, ou seja, saia cedo de casa da mesma forma (menos cedo do que pra escola, mas mesmo assim) e foi ai que eu percebi que não, o trabalho não era um problema, porque eu nunca ficava cansada e foi até uma das melhores férias que eu já tive, mas a escola também não era um problema, o problema é as duas coisas juntas.

E sim, escola e trabalho juntos não é uma coisa saudável pra ninguém (se a pessoa realmente estuda na escola e realmente trabalha no trabalho, pois sempre existem casos a parte hahah). E agora digo uma das minhas primeiras frases “eu deveria…”: Ah como eu deveria ter ouvido a minha mãe e esperado terminar o ensino médio.

É claro que também existem as pessoas que realmente PRECISAM de dinheiro, seja para ajudar a família com as contas ou coisas do gênero, ai é outra história totalmente diferente, mas falando do tipo de pessoa como eu, que trabalha porque quer e não por obrigação, essa é a MINHA opinião.

E ai, com quantos anos vocês assinaram suas carteiras de trabalho pela primeira vez? E o que vocês acham sobre tudo isso?

Anúncios

5 comentários sobre “O que EU penso sobre trabalho na adolescência

  1. Comecei a trabalhar aos 15 anos quando meus pais me disseram que não poderiam mais pagar meu colégio. Arrumei emprego na própria escola e, desde então, nunca deixei de trabalhar, por vezes em até uma jornada dupla. Hoje, trabalho em uma montadora de caminhões, dou aulas particulares e faço faculdade.
    A maturidade vem com o tempo e com a necessidade. Na época que comecei, ganhava 70 reias na mão e a bolsa integral no colégio. A necessidade de manter a bolsa me fez amadurecer e me tornar um funcionário dedicado e um aluno menos relapso.
    Mas de nada adianta trabalhar cedo se a pessoa não estiver disposta a enfrentar uma rotina pesada. O tiro sairá pela culatra!
    Tudo tem seu tempo e a sua hora.

    • Exatamente. Trabalhar mais cedo é super valido em casos assim, quando você realmente precisa de algo que não tem nem chances de conseguir sem um emprego. Mas acho que realmente uma pessoa que não PRECISA mesmo, não deve se sujeitar a ter uma rotina pesada mais cedo do que o normal.
      Porque como vimos pela tua rotina atual, quando a gente cresce não tem como evitar a correria e o cansaço 🙂

  2. Meu primeiro emprego também foi aos 15 anos, e assim como você eu percebi que as duas coisas juntas não funcionavam.
    Mas depois eu arrumei um estágio, que era mais tranquilo, e consegui levar os dois numa boa!
    Vou fazer um post no meu blog, baseado no seu, rs.
    Ah! E eu te indiquem em uma tag
    wp.me/p4bwI2-j4
    beeeijooos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s