Mãe, eu sou mulher

Mãe, quando eu tinha 8 anos de idade todos os meninos da escola faziam graça com o meu nome, me davam apelidos e me diminuíam.

Eu nunca fiz nada, e até ai tudo bem. Mas aos 10, mãe, eu aprendi a me defender, e ai, ouvi pela primeira vez a frase “Você tem que agir como uma menina”. Mas o que, pra eles, era agir como uma menina? Apanhar em silêncio? Ver meus sentimentos sendo destraçados sem piedade e não fazer nada?

Mãe, aos 14 anos alguém me falou “Você deve ser lésbica, afinal, nunca teve um namorado”. Na época isso me ofendeu, hoje em dia eu penso, quem me dera ser, poder viver cercada dessa raça maravilhosa que somos nós, as mulheres, mas afinal, por que eu precisaria de um homem pra ser considerada MULHER?

Aos 15, mãe, eu virei mulher, e mesmo amando, e mesmo feliz, eu ouvi “Nenhum homem direito vai te querer agora”, e mãe, eu me pergunto, essa frase deveria mesmo me afetar tanto? Porque eu não senti nada.

Aos 18 eu aprendi que a vida esta ai pra ser vivida. Eu vivi. E eu descobri, das piores formas possíveis, que eu não podia pegar um ônibus sozinha a noite para ir para a balada, porque minha saia era contra as regras de vestimenta noturna. Descobri que não podia entrar na balada sozinha, porque todos no lugar me olhariam torto e os homens cairiam matando como se eu fosse carne em uma churrascaria. Descobri que se eu viajasse sozinha, andasse sozinha, comprasse sozinha, vivesse sozinha, eu estava dando direito total a estranhos para se apropriar e abusar de mim.

Mas eu nunca entendi o porquê, mãe. Eu chorei, eu pensei, eu tentei entender, eu aprendi a viver. Aprendi a carregar uma faca na mochila para ir pra escola as 6 da manhã, aprendi a usar um sobretudo para ir pra balada, mesmo que depois eu tivesse que pagar chapelaria, aprendi a fingir que estou no telefone com o meu namorado quando estou sozinha na rua e algum estranho passa ao meu lado, aprendi a olhar pra baixo e seguir caminho quando alguém me fala coisas grotescas na rua, porque se eu me defender, algo ainda pior pode acontecer, mas por que, mãe? Eu preciso entender.

E hoje, eu entendi.

É por que eu sou guerreira, sou forte, sou independente, sou inteligente e cheia de vida, vou atrás dos meus sonhos e não desisto até alcançar meus objetivos, muitas qualidades, não é mesmo? Mas aparentemente nada disso importa, mãe, porque eu nasci MULHER.

cuplover_arabesco

Feliz dia internacional da mulher pra cada uma de vocês, batalhadoras, guerreiras, que lutam dia após dia para um mundo justo e seguro para cada uma de nós. Nós merecemos, e nossa luta não é só hoje, mas todos os dias!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s