Leitura em Inglês e Resenhas

1Olaaa! Primeiramente, minha internet não esta funcionando em casa, então hoje estão novamente postando de fora de casa, após mais de uma semana sem postar (sinto muitíssimo MESMO)! Enfim, hoje vim trazer pra vocês um post que esta pronto a mais de meia década, com fotos que podem ter sido as primeiras fotos tiradas com a minha câmera, láaa em novembro, ou seja, eu havia simplesmente enterrado o coitadinho entre um milhão de coisas do blog.

Enfim, hoje eu vim falar com vocês sobre livros em inglês, e como, mesmo uma leitura simplesinha como a desses livros abaixo podem ajudar, e muito, no seu aprendizado do idioma.

Eu faço curso de inglês a apenas 6 meses, mas já estou em um dos níveis finais (nivelamento, I got it!), e as vezes nosso professor nos empresta alguns livros bobinhos de nível 1 para treinarmos nossa leitura. Alguns, é claro, sempre tem mais dificuldade do que outros, por isso é sempre bom começar bem debaixo, com leituras breves e leves, pois de livro em livro, você se enche de conhecimento.

Eu já tinha lido alguns livros mais longos e complexos, como City of Stars, Twilight e os primeiros de Harry Potter, mas mesmo assim não resisti e peguei minhas três histórias infantis preferidas de TODOS OS TEMPOS: Alice no País das Maravilhas, O Mágico de OZ A Princesinha.4A leitura de livros infantis, particularmente, é leve, rápida e cativante, o vocabulário não é muito rico e é super fácil de se adaptar, então, não tem desculpa pra não começar a treinar. E ainda na maioria das vezes eles possuem ilustrações que podem te ajudar a decifrar algumas palavras desconhecidas no meio da descrição de alguém, de algo, ou de algum lugar. O vocabulário não é muito rico e é super fácil de se adaptar, então, não tem desculpa pra não começar a treinar.Esses livrinhos da minha escola, em particular, tinham ilustrações muito fofinhas e bem feitas, que me fizeram voltar no tempo de criança por mais algumas horas. 

Agora vamos falar das histórias, porque falar de livros sem resenha não rola, né? 2O livro Alice no País das Maravilhas, foi o segundo livro da Alice que eu li, e achei particularmente melhor do que o primeiro. A Alice não era tão chatinha, mas talvez por ter ilustrações, não consegui imaginar tão bem os cenários e os personagens. Como eu já disse, é uma escrita bem infantil, rápida e simples. Com frases curtas e bastante diálogos. Tive uma ideia bem diferente de como era cada personagem em especial, inclusive a Alice.5O A Princesinha também foi o segundo dessa história que eu li, contando com aquela versão beeeem antiga da editora Rideel. E gente, eu acho que tirando O Jardim Secreto, é um dos livros mais emocionantes e mágicos que eu já li. O livro conta a história de uma menina rica, apelidada pelo pai de Princesinha. Um dia ela se encontra em um beco sem saída, sozinha, sem nenhum tustão e sem nenhuma família. E mesmo assim ela continua com toda sua bondade e pureza no coração, e no fim, tudo da certo, e a gente aprende que a bondade sempre vale a pena.3E por fim o livro do meu filme preferido, O Mágico de OZ. Eu nunca tinha lido nenhuma versão da história de OZ, mas já tinha namorado muitos livros pra comprar. É claro, essa é uma versão resumida e curtinha, feita especialmente para crianças, mas nada me impediu de ficar horas sonhando com aquele mundo lindo que até então eu só havia visto na tela da televisão.

Ps: como disse láaaa no comecinho, essas fotos foram as primeiras que eu tirei com a câmera, e ainda fotografei de noite, ou seja, zero luz natural e iluminação FAIL de abajur. Então peço perdão pela qualidade das fotos 🙂

Insurgente

1507898_780883775291790_2076474804135791114_n 10649887_780883781958456_57345657408887073_n10421214_780883798625121_5188744164758999542_n

Sim, isso é exatamente o que parece, eu finalmente terminei de ler o segundo livro da trilogia Divergente (depois de meses e meses de enrolação), e quem sabe agora eu volte ao meu ritmo habitual de leitura (ou pelo menos a um ritmo admissível).

Enfim, vamos ao que interessa. Como faz muito tempo que li Divergente, não posso fazer muitas comparações entre o primeiro e o segundo volume da coleção, mas no geral, insurgente possui muito mais morte, sofrimento e tristeza do que o primeiro livro, que por sua vez tem mais, ação, expectativa e novidades, já que somos recém introduzidos a todo o mundo das facções.

A história gira em torno da Tris e do Tobias, como esperado, e podemos dizer que a Tris supera todos os limites de idiotice do ser humano. Ela faz coisas idiotas e arrisca a própria vida por motivos fúteis o tempo todo.

Nesse livro descobrimos alguns traidores (que pra quem me segue no Twitter já não é mais um segredo), e descobrimos que algumas pessoas bem inesperadas podem acabar ajudando, mas principalmente aprendemos que nunca devemos menosprezar alguém, pois essa pessoa pode vir a ser mais poderosa do que a gente imagina ser possível.

Eu acho que gostei mais do primeiro livro do que do segundo, mas eu tenho mania de sempre gostar mais dos primeiros livros das coleções, então né.

Devo confessar que quando o livro acabou fiquei com muito gostinho de quero mais e já li meia página de convergente. Acho que pra mim foi uma leitura demorada mais por preguiça e falta de tempo do que pela qualidade do livro.

E então, o que dizer? Super recomendado, ainda mais pra quem leu o primeiro, gostou e pretende assistir o próximo filme!

Feira do Livro 2014 ♥

Olá, estou conseguindo voltar aos poucos a minha rotina normal em casa, já consegui colocar pelo menos minha escrivaninha de volta pro seu devido lugar, o que significa, de volta ao blog ♥

No dia 3 desse mês, começou a 30ª Feira do Livro aqui da minha cidade (Caxias do Sul, pra quem não sabe), e como não poderia faltar, fui correndo lá tirar várias fotos legais, porque tantos livros reunidos em um lugar só merecem uma homenagem.

Esse ano, diferente do ano passado, não teremos post de comprinhas literárias na feira, por motivos de: 1) Tenho livros demais acumulados (inclusive alguns que comprei na feira do ano passado) e 2) O preço é mais acessível na minha querida internet.

Então vamos lá, dar uma olhadinha nesse mundo mágico que se abre pra gente uma vez por ano ♥10723520_691272230971601_1782377360_nAbertura da feira (não sei dizer o que exatamente aconteceu por ali já que fui correndo olhar os livros hahah).10717871_691272297638261_672473777_nBECKY ♥♥ Único livro pelo qual fiquei super tentada a quebrar minha promessa de não comprar nada.10719162_691272344304923_2129400293_n10719304_691272470971577_1240945913_n10721410_691289490969875_1090093571_n10723107_691272684304889_1913798579_n10728596_691289524303205_1353054739_n10728892_691272940971530_920508229_nExistem muitos desses super saldões, mas é super raro achar algo muito bom neles 😦10723359_691272520971572_1837082899_n10721425_691289327636558_838467764_n10717834_691272977638193_2128927506_n10719362_691272650971559_411703636_n10726277_691289304303227_1290555743_n10726472_691272847638206_1533016478_nEntão é isso galera, a Feira vai até o dia 19 desse mês, e eu ainda pretendo dar algumas passadinhas por lá para tirar mais algumas fotos, é claro. Espero que tenham gostado de conhecer um pouco da feira da minha cidade!

Happy Birthday ♥

tumblr_mdlbomUMfd1r3wudlo1_500 (1)Então ontem foi o aniversário de uma das minhas personagens literárias preferidas, sim haters, estou falando da minha amada Isabella Marie Swan. Ontem, dia 13 de setembro, minha idiotinha descoordenada completou suas 27 primaveras.

Durante anos vivi no dilema, gostar ou não gostar de Twilight, mas eu sabia que a saga estava gravada na minha história, e que não tinha mais jeito de apagar. Eu sempre fui apaixonada, pelos personagens, pela história, pelos livros, pelos cenários e principalmente pelos filmes e pelos atores.

Muitas pessoas sempre me julgaram e falaram mal de Twilight pra mim, e eu sempre escutei quieta, algumas vezes defendia, mas geralmente, respeitava a opinião dos outros, que em grande maioria sempre tinha um ódio mortal pela saga.

Nunca admiti alguém que nunca leu os livros e nem viu os filmes dizendo que odiava, não só Twilight como qualquer outra saga que eu goste. Assim como eu não falo que não gosto de alguma saga sem ter lido ou visto os filmes anteriormente.

Afinal, não estou fazendo esse post apenas para comemorar os 27 anos de eternidade de uma das minhas personagens literárias preferidas, mas também para confessar minha paixão pela saga e defender os gostos e opiniões de cada pessoa. Porque afinal, nós não somos iguais, e não gostamos das mesmas coisas, e julgar o gosto dos outros nunca irá fazer o que você gosta ser melhor, ou vice-versa.

Apenas se conscientizem de que vocês não ganham nada  indo contra ou criticando as coisas que os outros gostam, porque no fim, você vai estar perdendo o seu tempo com algo que diz não gostar, enquanto poderia estar fazendo algo que gosta.

Beijinhos ♥

Resenha | A Esperança

olaolaa

Como último livro da trilogia Jogos Vorazes, temos, finalmente, A Esperança, ou Mockingjay (nome do tordo…) na versão original.

Sinceramente devo admitir que esse foi o livro, entre os da trilogia, que eu menos gostei, e menos me senti envolvida. Jogos Vorazes passa toda a história de vida da Katniss, do Peeta e de todos ao seu redor, nos introduz a seus estilos de vida, aos jogos e ao governo de Panem, já no segundo livro, Em Chamas, nos enfrentamos começando a pensar em uma ideia de rebelião, utilizando nossa personagem principal como arma. Nos encontramos novamente na arena, descobrimos o real objetivo de todos na arena e fora dela, sofremos em partes por todas as mortes, além de, acima de tudo, nos envolvermos muito com os longos capitulos de descrição da nova arena.

Já nesse terceiro e último livro, as coisas já estão sendo encaminhadas. A revolução esta definitivamente em andamento, Katniss finalmente sera usada para algo, os Rebeldes estão tentando tomar a capital, Katniss promete matar Snow, muitas pessoas que amamos morrem, em diversos tipos de acidentes, e derivados. Como não podia faltar, Collins conseguiu implantar uma especie de Arena no livro, mesmo não havendo jogos, e muito menos Arenas de verdade. A “Arena” montada ao redor da Capital para sua segurança, acaba sendo uma das partes da história que mais nos prende a atenção (também devido ao grande numero de mortes nessa parte).

Vou logo avisando que alguns dos personagens que morrem fazem parte do círculo de personagens principais, e que você vai sim sofrer muito com a morte deles, e imaginar como os outros podem continuar suas vidas sem eles, mas enfim.ola que talSpoilers a parte, vale super a pena realizar a leitura desse livro, ainda mais, é claro, pra quem já leu os dois primeiros livros, ou pra quem quer estar atualizado da história para ver o filme no final desse ano. Alias, no fim de 2014 estréia o penúltimo filme da “trilogia”: A Esperança parte 1, já que o último livro foi dividido em 2 filmes.

Então é isso, dou 4 lindas estrelinhas para esse livro, já que mesmo não tendo me agradado muito em um geral, foi o livro que finalizou uma das minhas histórias preferidas! Agora é só esperar pelo filme ♥

Resenha | Em Chamas

20140826_182240Depois de finalmente ter resenhado o primeiro livro da saga a alguns dias atrás, não tive como me conter muito mais e aqui estou com o segundo (e meu favorito) livro da coleção: Em Chamas.

Nesse livro, Katniss e Peeta são surpreendidos pelo anuncio do presidente Snow, de que os tributos de cada distrito serão coletados a partir de seus já vitoriosos. Ou seja, com toda a certeza Katniss voltará para os jogos, com Peeta, ou com sua ultima esperança de manter o rapaz vivo, Haymitch (seu tutor nos últimos jogos).

Mas como as forças do destino cooperam para uma boa sequencia (hahah), é lógico que Peeta é o grande escolhido para ser o parceiro de Katniss no Massacre Quartenário.20140826_182354A história é muito mais envolvente e eletrizante do que a primeira, com muito mais ação, com uma Arena um zilhão de vezes mais bem estruturada do que a primeira e com personagens marcantes, que te trarão todo tipo de sentimento a tona, e uma boa noticia: alguns continuarão conosco até o último livro.

O pior dessa edição dos jogos, é que os competidores são milhões de vezes mais bem treinados e preparados do que Katniss e Peeta, alguns já são velhos, mas tem uma inteligencia capaz de matar qualquer pessoa no mundo, e outros são tão perigosos e letais, que te fuzilariam apenas com um olhar.

Sem dúvidas a maioria dos acontecimentos de Em Chamas resultara em coisas grandiosas em A Esperança.

Como eu poderia não indicar esse livro, sendo que é o meu preferido da Trilogia? Então, como já previsto, dou a maior nota da minha tabela (mas eu não tenho uma tabela, tenho?), sendo ela um 10,100 ou algo nessa escala. Leiam, vale super a pena ♥20140826_182258

Resenha | As Crônicas de Nárnia

olaaaaOlá! Hoje estou aqui para resenhar um livro que li a décadas atrás, que é um dos meus preferidos e que ainda não resenhei pra vocês, e esse livro, é lógico, é as Crônicas de Nárnia ♥

Eu me lembro muito bem que esse foi o primeiro livro que eu comprei no Submarino, na época paguei 20 reais e fiquei super empolgada porque a maioria das livrarias estava vendendo o mesmo por mais de 100. Enfim, após algum tempo de leitura árdua finalmente finalizei esse livro que estava na minha lista de metas literárias  a tanto tempo, e não me arrependi nenhum pouco. Então vamos a história.11Ao contrário do que muitos acham, a história de Nárnia começa no livro O Sobrinho do Mago, e não em O leão, a feiticeira e o guarda-roupa. Nesse primeiro livro, descobrimos como o guarda roupa para Nárnia foi construído, conhecemos os primeiros habitantes do reino, vivenciamos sua criação e vemos seu primeiro rei ser coroado. Também descobrimos de onde surgiu a maldosa rainha branca, o poste de luz que virou marco de encontro dos irmãos Pevensie no filme/livro O leão, a feiticeira e o guarda-roupa e derivados.

Essa crônica em particular me deixou muito magoada com os criadores dos filmes, que por motivos desconhecidos decidiram simplesmente pular uma das melhores e mais esclarecedoras histórias do livro. Como também me fez ver que Nárnia ia muito além do que os filmes podiam nos mostrar, e que a história era realmente algo que valia a pena ser lido. Essa primeira história, é, sem dúvidas, uma das minhas preferidas do livro!2Agora sim, como segunda crônica do livro encontramos O Leão, a Feiticeira e o Guarda-Roupa, parte do livro na qual foi baseado o primeiro filme da saga Crônicas de Nárnia. Nessa crônica, finalmente conhecemos nossos personagens principais, Lucia, Pedro, Edmundo e Susana Pevensie, vemos um pouco das história que já conhecemos a séculos: os irmãos Pevensie vão para uma casa no interior, para se manter longe da guerra que esta ocorrendo em seu país, lá, Lucia encontra nosso tão querido guarda-roupa para Nárnia, e também descobre o novo mundo que esta além dele. Depois disso vem toda a duvida de seus irmãos a respeito de Nárnia, a discórdia é totalmente plantada até o dia em que todos os quatro irmãos finalmente vão para Nárnia seguir seus destinos.

Como de costume, o filme não chega aos pés da história verdadeira, por mais curta que seja. Nessa crônica revemos alguns personagens queridos da primeira, ficamos sabendo o que aconteceu e temos que lidar junto aos irmãos Pevensie com todas as consequências de seus próprios atos e de seus antepassados.33Na terceira crônica somos apresentados a Shasta, um menino que vivia com um pescador na Calormânia. Um dia Shasta descobre que esse pescador que se diz seu pai, na verdade é um exportador de escravos, e pretende vende-lo nos próximos dias. Sabendo disso Shasta resolve fugir da casa do pescador, e é quando enfim conhece Bree, um cavalo de Nárnia, que pensa e fala, como todos os animais de lá, e montado em seu novo amigo ele cavalga rumo a Nárnia e ao Norte.

No caminho Shasta conhece Aravis, uma nobre que também esta fugindo para Nárnia com sua égua Hwin, outro legitimo animal narniano. Mas para chegar a Nárnia, os quatro devem passar pela capital da Calormânia, onde se metem em diversas confusões diferentes, algumas até envolvendo nossos personagens preferidos, Susana e Edmundo. Durante essa parte do livro vemos muito a presença de nosso todo poderoso Aslam, que ajuda nossos personagens principais a passarem por todas as dificuldades.

Esse foi a primeira crônica que eu li que me fez notar que Nárnia não é apenas os Pevensie e o mundinho perfeito ao redor deles, mas também pessoas narnianas sofrendo presas na Calormânia e outros mistérios e perigos do lado de fora do reino.445Nessa história nós conhecemos o jovem Caspian, que foi criado pelo tio, o rei de Telmar. Mas um dia Caspian descobre que na verdade seu falecido pai era o rei legitimo, deixando assim, para ele, a sucessão do trono, mas, quando seu tio finalmente terá um herdeiro, Caspian se encontra em perigo e resolve fugir para Nárnia, reino do qual o mesmo já havia ouvido centenas de histórias. Mas uma coisa havia mudado, a antiga Nárnia, com animais falantes e pensantes, natureza viva e derivados, não existia mais, agora, Nárnia era apenas mais um lugar no mundo. Porém Caspian acreditava nas histórias que ouvia, e decidiu dar um jeito de restaurar o antigo modo de vida de Nárnia. Isso se torna muito mais provável depois que ele encontra muitas criaturas da Nárnia antiga, como animais falantes e anões.

Esse conto particularmente é um dos que eu menos gosto, perdendo apenas para A Cadeira de Prata, creio eu.67Nessa incrível história, que também serviu de base para a criação de um dos filmes da série, Lucia, Edmundo e seu primo rabugento Eustáquio embarcam em uma nova aventura, cheia de emoções e perigos. Os três se encontram a bordo do navio Peregrino da Alvorada, acompanhados de seu velho amigo Príncipe Caspian e sua tripulação. Pelo caminho, eles encontram uma porção de criaturas diferentes e novos lugares, mas pelo caminho para onde? Para o País de Aslam.

Na realidade o objetivo principal da viagem era encontrar os sete fidalgos narnianos que o tio de Caspian havia expulsado de Nárnia, e que haviam supostamente se perdido em alto mar, mas, como nada em Nárnia ocorre exatamente da forma como se planeja, Aslam surge com uma nova oportunidade para seus amigos filhos de Adão.

Esse é literalmente um dos livros mais calmos, e um dos que eu mais gosto. Os mistérios são levados muito mais em conta do que a guerra, e a lógica usada no livro me chamou muita atenção, assim como o uso abundante de características e muita descrição. Como quase todo o livro se passa no navio durante a viagem, é uma leitura rápida e leve, realmente uma das melhores, com muitas criaturas diferentes das que já estamos habituados e etc.8Em A Cadeira de Prata, um dos que eu menos gosto, conhecemos um  Eustáquio muito diferente, que foi certamente transformado por suas experiencias no Peregrino da Alvorada. Nesse conto, Eustáquio acaba conhecendo uma garota em sua nova escola, chamada Jill Pole, que é constantemente amedrontada pelos colegas de aula. Como Eustáquio a encontrou chorando, decidiu contar-lhe uma história para ver se a menina se acalmava, e essa história, foi a de sua aventura em Nárnia. Quando a menina finalmente percebe que tudo aquilo é na verdade um fato verídico, eles são forçados pelos colegas “barra pesada” a entrarem em um antigo portão (que esta geralmente trancado, ao contrário dessa vez) nos fundos da escola, que é óbvio, acaba os levando para Nárnia.

Os dois se encontram na beira de um precipício, do qual, acidentalmente, Eustáquio acaba caindo, deixando Jill sozinha para posteriormente receber ordens e regras diretas do próprio “deus” Aslam. As regras são claras, se Eustáquio e Jill quebrarem alguma daquelas ordens, tudo vai pro espaço. Quando Jill encontra Eustáquio ela tenta de todas as maneiras alerta-lo do aviso de Aslam, mas o mesmo esta muito distraído com a partida do rei Caspian para uma nova aventura marítima (o tempo em Nárnia passa de uma forma diferente, então, mesmo tendo se passado apenas um ano para Eustáquio, o rei Caspian já esta a beira da morte). Após ter a primeira ordem de Aslam quebrada, Eustáquio e Jill passam por muitos apuros para conseguirem realizar suas próximas tarefas.

A história ocorre basicamente ao redor disso, o que me deixou um pouco desapontada, já que dessa vez não vimos muita aventura, nem guerra, ou muito menos uma história tão bem detalhada e escrita como a anterior.9Nessa história que se passa 200 anos após A Cadeira de Prata, Nárnia vive com um terrível dilema: por esse longo período de tempo, Aslam nunca mais apareceu para ninguém, seja esse alguém um ser narniano ou um filho de Adão. Pensando em usar esse acontecimento como forma de ter tudo o que queria, o esperto macaco Manhoso decidiu vestir seu amigo Confuso, o jumento, com a pele de um leão morto que eles encontraram na floresta, e assim, fingir que o próprio era o deus Aslam em toda sua magnitude.

Quando fica sabendo das calamidades que o macaco esta fazendo, o rei Tirian corre para Nárnia ver se ainda há algo a ser feito. Imaginem quão grande é sua surpresa ao ver que quem esta matando os animais e cortando as árvores falantes não são os narnianos iludidos pelo macaco, mas sim calormanos. O rei decide pedir por ajuda, e em um sonho acaba tendo a chance de ver todos os filhos de Adão que já pisaram em Nárnia reunidos ao redor de uma mesa, discutindo. Após alguns minutos de sonho, ele acorda, e Jill e Eustáquio, os mais novos do grupo e os únicos que ainda tem idade para visitar Nárnia, estão a sua frente. As coisas só pioram quando Manhoso faz os calormanos acreditarem que Aslam e Tash (o deus dos calormanos) são a mesma criatura, o que causa ira de Tash e o faz realmente aparecer para o seu povo.

Esse é “finalmente” o fim de Nárnia. O que me deixou triste de todos os modos possíveis. Lewis caprichou muito mais do que o normal nesse livro de encerramento, nos deixando com um ótimo fim para Nárnia, pois é, nós tivemos a oportunidade de presenciar o surgimento e o fim de Nárnia, de um jeito único e especial. E mais uma coisa que gostaria de avisa-los: se vocês sofreram, choraram, com qualquer morte/desaparecimento ocorrido em qualquer um dos livros da série, pode ir se acalmando, pois uma das coisas mais fantásticas e maravilhosas da história da literatura ocorre nesse livro, nos dando a chance de descobrir o verdadeiro País de Aslam, e a verdadeira Nárnia.

Nota para esse livro? O que posso dizer? ♥♥♥♥♥ Nárnia tem e sempre terá aquele lugarzinho guardado no meu coração, uma história que sempre vai me emocionar e me cativar, não importa minha idade, crença ou mentalidade. Super recomendo!