Happy Birthday ♥

tumblr_mdlbomUMfd1r3wudlo1_500 (1)Então ontem foi o aniversário de uma das minhas personagens literárias preferidas, sim haters, estou falando da minha amada Isabella Marie Swan. Ontem, dia 13 de setembro, minha idiotinha descoordenada completou suas 27 primaveras.

Durante anos vivi no dilema, gostar ou não gostar de Twilight, mas eu sabia que a saga estava gravada na minha história, e que não tinha mais jeito de apagar. Eu sempre fui apaixonada, pelos personagens, pela história, pelos livros, pelos cenários e principalmente pelos filmes e pelos atores.

Muitas pessoas sempre me julgaram e falaram mal de Twilight pra mim, e eu sempre escutei quieta, algumas vezes defendia, mas geralmente, respeitava a opinião dos outros, que em grande maioria sempre tinha um ódio mortal pela saga.

Nunca admiti alguém que nunca leu os livros e nem viu os filmes dizendo que odiava, não só Twilight como qualquer outra saga que eu goste. Assim como eu não falo que não gosto de alguma saga sem ter lido ou visto os filmes anteriormente.

Afinal, não estou fazendo esse post apenas para comemorar os 27 anos de eternidade de uma das minhas personagens literárias preferidas, mas também para confessar minha paixão pela saga e defender os gostos e opiniões de cada pessoa. Porque afinal, nós não somos iguais, e não gostamos das mesmas coisas, e julgar o gosto dos outros nunca irá fazer o que você gosta ser melhor, ou vice-versa.

Apenas se conscientizem de que vocês não ganham nada  indo contra ou criticando as coisas que os outros gostam, porque no fim, você vai estar perdendo o seu tempo com algo que diz não gostar, enquanto poderia estar fazendo algo que gosta.

Beijinhos ♥

Resenha | A Esperança

olaolaa

Como último livro da trilogia Jogos Vorazes, temos, finalmente, A Esperança, ou Mockingjay (nome do tordo…) na versão original.

Sinceramente devo admitir que esse foi o livro, entre os da trilogia, que eu menos gostei, e menos me senti envolvida. Jogos Vorazes passa toda a história de vida da Katniss, do Peeta e de todos ao seu redor, nos introduz a seus estilos de vida, aos jogos e ao governo de Panem, já no segundo livro, Em Chamas, nos enfrentamos começando a pensar em uma ideia de rebelião, utilizando nossa personagem principal como arma. Nos encontramos novamente na arena, descobrimos o real objetivo de todos na arena e fora dela, sofremos em partes por todas as mortes, além de, acima de tudo, nos envolvermos muito com os longos capitulos de descrição da nova arena.

Já nesse terceiro e último livro, as coisas já estão sendo encaminhadas. A revolução esta definitivamente em andamento, Katniss finalmente sera usada para algo, os Rebeldes estão tentando tomar a capital, Katniss promete matar Snow, muitas pessoas que amamos morrem, em diversos tipos de acidentes, e derivados. Como não podia faltar, Collins conseguiu implantar uma especie de Arena no livro, mesmo não havendo jogos, e muito menos Arenas de verdade. A “Arena” montada ao redor da Capital para sua segurança, acaba sendo uma das partes da história que mais nos prende a atenção (também devido ao grande numero de mortes nessa parte).

Vou logo avisando que alguns dos personagens que morrem fazem parte do círculo de personagens principais, e que você vai sim sofrer muito com a morte deles, e imaginar como os outros podem continuar suas vidas sem eles, mas enfim.ola que talSpoilers a parte, vale super a pena realizar a leitura desse livro, ainda mais, é claro, pra quem já leu os dois primeiros livros, ou pra quem quer estar atualizado da história para ver o filme no final desse ano. Alias, no fim de 2014 estréia o penúltimo filme da “trilogia”: A Esperança parte 1, já que o último livro foi dividido em 2 filmes.

Então é isso, dou 4 lindas estrelinhas para esse livro, já que mesmo não tendo me agradado muito em um geral, foi o livro que finalizou uma das minhas histórias preferidas! Agora é só esperar pelo filme ♥

Resenha | Em Chamas

20140826_182240Depois de finalmente ter resenhado o primeiro livro da saga a alguns dias atrás, não tive como me conter muito mais e aqui estou com o segundo (e meu favorito) livro da coleção: Em Chamas.

Nesse livro, Katniss e Peeta são surpreendidos pelo anuncio do presidente Snow, de que os tributos de cada distrito serão coletados a partir de seus já vitoriosos. Ou seja, com toda a certeza Katniss voltará para os jogos, com Peeta, ou com sua ultima esperança de manter o rapaz vivo, Haymitch (seu tutor nos últimos jogos).

Mas como as forças do destino cooperam para uma boa sequencia (hahah), é lógico que Peeta é o grande escolhido para ser o parceiro de Katniss no Massacre Quartenário.20140826_182354A história é muito mais envolvente e eletrizante do que a primeira, com muito mais ação, com uma Arena um zilhão de vezes mais bem estruturada do que a primeira e com personagens marcantes, que te trarão todo tipo de sentimento a tona, e uma boa noticia: alguns continuarão conosco até o último livro.

O pior dessa edição dos jogos, é que os competidores são milhões de vezes mais bem treinados e preparados do que Katniss e Peeta, alguns já são velhos, mas tem uma inteligencia capaz de matar qualquer pessoa no mundo, e outros são tão perigosos e letais, que te fuzilariam apenas com um olhar.

Sem dúvidas a maioria dos acontecimentos de Em Chamas resultara em coisas grandiosas em A Esperança.

Como eu poderia não indicar esse livro, sendo que é o meu preferido da Trilogia? Então, como já previsto, dou a maior nota da minha tabela (mas eu não tenho uma tabela, tenho?), sendo ela um 10,100 ou algo nessa escala. Leiam, vale super a pena ♥20140826_182258

Resenha | As Crônicas de Nárnia

olaaaaOlá! Hoje estou aqui para resenhar um livro que li a décadas atrás, que é um dos meus preferidos e que ainda não resenhei pra vocês, e esse livro, é lógico, é as Crônicas de Nárnia ♥

Eu me lembro muito bem que esse foi o primeiro livro que eu comprei no Submarino, na época paguei 20 reais e fiquei super empolgada porque a maioria das livrarias estava vendendo o mesmo por mais de 100. Enfim, após algum tempo de leitura árdua finalmente finalizei esse livro que estava na minha lista de metas literárias  a tanto tempo, e não me arrependi nenhum pouco. Então vamos a história.11Ao contrário do que muitos acham, a história de Nárnia começa no livro O Sobrinho do Mago, e não em O leão, a feiticeira e o guarda-roupa. Nesse primeiro livro, descobrimos como o guarda roupa para Nárnia foi construído, conhecemos os primeiros habitantes do reino, vivenciamos sua criação e vemos seu primeiro rei ser coroado. Também descobrimos de onde surgiu a maldosa rainha branca, o poste de luz que virou marco de encontro dos irmãos Pevensie no filme/livro O leão, a feiticeira e o guarda-roupa e derivados.

Essa crônica em particular me deixou muito magoada com os criadores dos filmes, que por motivos desconhecidos decidiram simplesmente pular uma das melhores e mais esclarecedoras histórias do livro. Como também me fez ver que Nárnia ia muito além do que os filmes podiam nos mostrar, e que a história era realmente algo que valia a pena ser lido. Essa primeira história, é, sem dúvidas, uma das minhas preferidas do livro!2Agora sim, como segunda crônica do livro encontramos O Leão, a Feiticeira e o Guarda-Roupa, parte do livro na qual foi baseado o primeiro filme da saga Crônicas de Nárnia. Nessa crônica, finalmente conhecemos nossos personagens principais, Lucia, Pedro, Edmundo e Susana Pevensie, vemos um pouco das história que já conhecemos a séculos: os irmãos Pevensie vão para uma casa no interior, para se manter longe da guerra que esta ocorrendo em seu país, lá, Lucia encontra nosso tão querido guarda-roupa para Nárnia, e também descobre o novo mundo que esta além dele. Depois disso vem toda a duvida de seus irmãos a respeito de Nárnia, a discórdia é totalmente plantada até o dia em que todos os quatro irmãos finalmente vão para Nárnia seguir seus destinos.

Como de costume, o filme não chega aos pés da história verdadeira, por mais curta que seja. Nessa crônica revemos alguns personagens queridos da primeira, ficamos sabendo o que aconteceu e temos que lidar junto aos irmãos Pevensie com todas as consequências de seus próprios atos e de seus antepassados.33Na terceira crônica somos apresentados a Shasta, um menino que vivia com um pescador na Calormânia. Um dia Shasta descobre que esse pescador que se diz seu pai, na verdade é um exportador de escravos, e pretende vende-lo nos próximos dias. Sabendo disso Shasta resolve fugir da casa do pescador, e é quando enfim conhece Bree, um cavalo de Nárnia, que pensa e fala, como todos os animais de lá, e montado em seu novo amigo ele cavalga rumo a Nárnia e ao Norte.

No caminho Shasta conhece Aravis, uma nobre que também esta fugindo para Nárnia com sua égua Hwin, outro legitimo animal narniano. Mas para chegar a Nárnia, os quatro devem passar pela capital da Calormânia, onde se metem em diversas confusões diferentes, algumas até envolvendo nossos personagens preferidos, Susana e Edmundo. Durante essa parte do livro vemos muito a presença de nosso todo poderoso Aslam, que ajuda nossos personagens principais a passarem por todas as dificuldades.

Esse foi a primeira crônica que eu li que me fez notar que Nárnia não é apenas os Pevensie e o mundinho perfeito ao redor deles, mas também pessoas narnianas sofrendo presas na Calormânia e outros mistérios e perigos do lado de fora do reino.445Nessa história nós conhecemos o jovem Caspian, que foi criado pelo tio, o rei de Telmar. Mas um dia Caspian descobre que na verdade seu falecido pai era o rei legitimo, deixando assim, para ele, a sucessão do trono, mas, quando seu tio finalmente terá um herdeiro, Caspian se encontra em perigo e resolve fugir para Nárnia, reino do qual o mesmo já havia ouvido centenas de histórias. Mas uma coisa havia mudado, a antiga Nárnia, com animais falantes e pensantes, natureza viva e derivados, não existia mais, agora, Nárnia era apenas mais um lugar no mundo. Porém Caspian acreditava nas histórias que ouvia, e decidiu dar um jeito de restaurar o antigo modo de vida de Nárnia. Isso se torna muito mais provável depois que ele encontra muitas criaturas da Nárnia antiga, como animais falantes e anões.

Esse conto particularmente é um dos que eu menos gosto, perdendo apenas para A Cadeira de Prata, creio eu.67Nessa incrível história, que também serviu de base para a criação de um dos filmes da série, Lucia, Edmundo e seu primo rabugento Eustáquio embarcam em uma nova aventura, cheia de emoções e perigos. Os três se encontram a bordo do navio Peregrino da Alvorada, acompanhados de seu velho amigo Príncipe Caspian e sua tripulação. Pelo caminho, eles encontram uma porção de criaturas diferentes e novos lugares, mas pelo caminho para onde? Para o País de Aslam.

Na realidade o objetivo principal da viagem era encontrar os sete fidalgos narnianos que o tio de Caspian havia expulsado de Nárnia, e que haviam supostamente se perdido em alto mar, mas, como nada em Nárnia ocorre exatamente da forma como se planeja, Aslam surge com uma nova oportunidade para seus amigos filhos de Adão.

Esse é literalmente um dos livros mais calmos, e um dos que eu mais gosto. Os mistérios são levados muito mais em conta do que a guerra, e a lógica usada no livro me chamou muita atenção, assim como o uso abundante de características e muita descrição. Como quase todo o livro se passa no navio durante a viagem, é uma leitura rápida e leve, realmente uma das melhores, com muitas criaturas diferentes das que já estamos habituados e etc.8Em A Cadeira de Prata, um dos que eu menos gosto, conhecemos um  Eustáquio muito diferente, que foi certamente transformado por suas experiencias no Peregrino da Alvorada. Nesse conto, Eustáquio acaba conhecendo uma garota em sua nova escola, chamada Jill Pole, que é constantemente amedrontada pelos colegas de aula. Como Eustáquio a encontrou chorando, decidiu contar-lhe uma história para ver se a menina se acalmava, e essa história, foi a de sua aventura em Nárnia. Quando a menina finalmente percebe que tudo aquilo é na verdade um fato verídico, eles são forçados pelos colegas “barra pesada” a entrarem em um antigo portão (que esta geralmente trancado, ao contrário dessa vez) nos fundos da escola, que é óbvio, acaba os levando para Nárnia.

Os dois se encontram na beira de um precipício, do qual, acidentalmente, Eustáquio acaba caindo, deixando Jill sozinha para posteriormente receber ordens e regras diretas do próprio “deus” Aslam. As regras são claras, se Eustáquio e Jill quebrarem alguma daquelas ordens, tudo vai pro espaço. Quando Jill encontra Eustáquio ela tenta de todas as maneiras alerta-lo do aviso de Aslam, mas o mesmo esta muito distraído com a partida do rei Caspian para uma nova aventura marítima (o tempo em Nárnia passa de uma forma diferente, então, mesmo tendo se passado apenas um ano para Eustáquio, o rei Caspian já esta a beira da morte). Após ter a primeira ordem de Aslam quebrada, Eustáquio e Jill passam por muitos apuros para conseguirem realizar suas próximas tarefas.

A história ocorre basicamente ao redor disso, o que me deixou um pouco desapontada, já que dessa vez não vimos muita aventura, nem guerra, ou muito menos uma história tão bem detalhada e escrita como a anterior.9Nessa história que se passa 200 anos após A Cadeira de Prata, Nárnia vive com um terrível dilema: por esse longo período de tempo, Aslam nunca mais apareceu para ninguém, seja esse alguém um ser narniano ou um filho de Adão. Pensando em usar esse acontecimento como forma de ter tudo o que queria, o esperto macaco Manhoso decidiu vestir seu amigo Confuso, o jumento, com a pele de um leão morto que eles encontraram na floresta, e assim, fingir que o próprio era o deus Aslam em toda sua magnitude.

Quando fica sabendo das calamidades que o macaco esta fazendo, o rei Tirian corre para Nárnia ver se ainda há algo a ser feito. Imaginem quão grande é sua surpresa ao ver que quem esta matando os animais e cortando as árvores falantes não são os narnianos iludidos pelo macaco, mas sim calormanos. O rei decide pedir por ajuda, e em um sonho acaba tendo a chance de ver todos os filhos de Adão que já pisaram em Nárnia reunidos ao redor de uma mesa, discutindo. Após alguns minutos de sonho, ele acorda, e Jill e Eustáquio, os mais novos do grupo e os únicos que ainda tem idade para visitar Nárnia, estão a sua frente. As coisas só pioram quando Manhoso faz os calormanos acreditarem que Aslam e Tash (o deus dos calormanos) são a mesma criatura, o que causa ira de Tash e o faz realmente aparecer para o seu povo.

Esse é “finalmente” o fim de Nárnia. O que me deixou triste de todos os modos possíveis. Lewis caprichou muito mais do que o normal nesse livro de encerramento, nos deixando com um ótimo fim para Nárnia, pois é, nós tivemos a oportunidade de presenciar o surgimento e o fim de Nárnia, de um jeito único e especial. E mais uma coisa que gostaria de avisa-los: se vocês sofreram, choraram, com qualquer morte/desaparecimento ocorrido em qualquer um dos livros da série, pode ir se acalmando, pois uma das coisas mais fantásticas e maravilhosas da história da literatura ocorre nesse livro, nos dando a chance de descobrir o verdadeiro País de Aslam, e a verdadeira Nárnia.

Nota para esse livro? O que posso dizer? ♥♥♥♥♥ Nárnia tem e sempre terá aquele lugarzinho guardado no meu coração, uma história que sempre vai me emocionar e me cativar, não importa minha idade, crença ou mentalidade. Super recomendo!

Lista de Leitura | Julho, Agosto

12 livros acumulados, Fernanda? É isso mesmo?

Estou totalmente chateada comigo mesma, pois nunca deixei tantos livros acumulados antes. Minha mãe não aceita mais a ideia de me ver comprando livros novos sendo que ainda tenho tantos não lidos, mas gente, não tem como.

Eu sei que ano passado meu ritmo de leitura era muito melhor, porque eu não trabalhava e tudo o mais, então, na BF (Black Friday), acabei me emocionando e comprando livros demais. Alguns deles eu li durante as férias, como Quem é você, Alaska? e etc, mas outros, ainda estão ali, quietinhos na estante, esperando para serem lidos.

Depois de perceber essa tristeza eminente, ainda por cima resolvi comprar duas trilogias. 6 livros a mais, aumentando a lista e as contas.

Enfim, vamos logo a essa lista infindável de livros não lidos, que tenho como objetivo de leitura para Julho e Agosto.

20140702_20330020140702_20333620140702_20331820140702_20360420140702_20361820140702_20362920140702_20364020140702_20365820140702_20374120140702_20372520140702_204020fsew

Tem alguns livros ai que já tenho a séculos, como Mentes Perigosas, que ganhei em 2012, tem A Travessia, que peguei emprestado a meses (da minha irmã, mas não acho que ela lembre dele hahah), e também tem os que mesmo estando com todos esses atrasados, comprei ainda esse mês, minhas duas trilogias lindas, Jogos Vorazes e Divergente, das quais na realidade só tenho que ler A Esperança, Insurgente e Convergente.

Tenho que me apressar, pois meu objetivo agora é acabar todos eles até o fim de agosto, será que dá?

Resenha |O Herói Perdido – Os Heróis do Olimpo

O que posso dizer sobre o primeiro livro da série os Heróis do Olimpo? Eu simplesmente ocupei as 24 horas do meu domingo para completar a leitura desse livro. Não comi e não fiz pausas para quase nada. Com isso vocês já podem ter uma ideia de quão bom é o livro.

A tempos eu já tinha uma ideia do que se tratava a historia, por causa de muitos spoilers recebidos durante o tempo (hahah), então, no decorrer da historia, comecei a me lembrar de detalhes, personagens e histórias. O que não tirou a graça do livro, o contrario do que eu imaginava, mas na verdade, deu até uma graça a mais.

O herói perdido introduz muito bem a nova geração de semideuses, e já vou alertando que pode te fazer dizer “Meu Deus, essa coleção é melhor do que a primeira!”, digo isso porque eu mesma disse isso.

O livro conta a história de Piper, Leo e Jason, três semideuses com poderes particularmente especiais, e que estão predestinados a fazerem parte da grande profecia citada no livro O Último Olimpiano, da série Percy Jackson e os Olimpianos.

Logo no inicio já é revelada a aparente ‘amnesia’ de Jason, que não se lembra de nomes, datas, locais, nem mesmo da sua idade.

É claro que o Rick não esperou muito para nos introduzir ao mundo mitológico. Com seus próprios segredos, problemas e com um elo muito maior do que outros semideuses com os deuses, eles começam a descobrir seus deveres e missões, e tudo começa a ficar muitooo melhor depois que eles são levados ao Acampamento Meio-Sangue e reclamados por seus respectivos pais olimpianos.

O livro é repleto de segredos, mistérios e aventuras. E todos esses critérios são muito bem distribuídos ao longo do livro, que te envolve a cada minutinho que passa, e deixa aquele gostinho de quero mais a cada página virada. Simplesmente não da pra resistir.

O preço dessa série ainda esta bem salgado, e por esse motivo ainda não pude adquiri-la, mas como os amigos estão ai pra isso, não vejo a hora de pegar o segundo livro emprestado (hahah)!

Super ultra mega recomendo a leitura não só desse livro, mas também, antecipadamente, de toda a série!

Não pude tirar muitas fotos por motivos de: o livro era emprestado, eu terminei a leitura aproximadamente uma 00:40, fui dormir, acordei as 06:00 para ir para a escola e lembrei das benditas fotos, foi tudo muito rápido, então sinto muio 😦

1

6

5

2

3

4

Wishlist Literária de junho ♥

Vocês todos sabem que um dos meus maiores amores (e vicios) são os livros, e que mesmo tendo alguns ainda não lidos na minha estante, devido a falta de tempo evidente, estou sempre louca pra comprar alguns novos (que eu nunca comprou, mas não custa nada sonhar.

Eu sempre comprei meus livros no Submarino, mas ultimamente o frete ta uma fortuna e eles ainda estão incluindo 5 reais não sei de que na conta. Mas mesmo assim, pesquisei os valores por lá, já que estou mais acostumada.

Imagem

Resenha | Alice no País das Maravilhas

Olá! Então hoje eu decidi compartilhar com vocês minha experiência com meu primeiro livro de Alice no País das Maravilhas (primeiro de muitos, eu espero), que é a edição de bolso da L&PM.

Eu tinha uma ideia meio distorcida do que realmente se tratava a história de Alice no País das Maravilhas, sempre imaginei aquele mundo colorido incrível dos filmes e tudo o mais, mas o livro me trouxe para uma realidade bem diferente.

Primeiramente, Alice era uma garota insuportável, chata e muito mal educada. As vezes eu mesma queria dar uns petelecos nela quando ela falava alguma besteira ou xingava algum dos personagens.

Eu achei o livro muito mais adulto/maduro do que deveria ser, já que o gênero do livro é infantil, e em algumas partes achei bem confuso também. Achei que o chapeleiro, sendo um dos meus personagens preferidos, apareceu pouco demais, assim como a rainha de copas.

Logo no inicio, alem de crescer, diminuir, entrar pela portinha e viver as milhares de aventuras conhecidíssimas de Alice no País das Maravilhas, Alice passa muitos capítulos presa na salinha, com muitos animais e por fim ela acaba entrando no país das maravilhas, sem mesmo ter entrado na portinha (achei isso confuso demais).

Já que o livro é bem curtinho, essa foi uma leitura muito rápida, bem divertida e envolvente, os personagens são incríveis, mas o livro não foca muito em detalhes e não fala muito de cada um deles, além de todas essas características, acho que a mais marcante é que ele é muito confuso (hahah). E alias, não gostei do final da história, será que todos os livros de Alice acabam assim? 😦

ImagemImagemImagemImagemImagemps: o livro tem umas ilustrações bem fofinhas em cada capítulo ♥

Resenha | Pretty Little Liars – Perversas #5

Se você ainda não leu os quatro primeiros livros da série, Maldosas, Impecáveis, Perfeitas e Inacreditáveis recomendo que você vá para os outro post. Já que essa sendo a resenha do quinto livro da série, provavelmente conterá comentários sobre os livros anteriores!

Primeiramente para quem achava que finalmente as garotas teriam um minuto de sossego já que -A havia sido descoberta, e morta consequentemente, não fiquem muito esperançosos, pois ainda vai levar muito tempo para as nossas Liars terem uma vida “normal” novamente!

Lá pela metade do livro, nós finalmente descobrimos como as nossas Liars ficaram amigas. As garotas contam que durante a Capsula do Tempo da escola, um ritual em Rosewood Day onde cada aluno deve procurar por pedaços da bandeira da escola e decora-los para serem eternizados dentro da capsula, a “hierarquia” escolar que Ali vinha construindo a anos, de repente se rompeu, obrigando a escolher novos membros para o seu grupo. Coincidentemente, na noite do dia em que Ali se gabara de ter conseguido o privilégio de ter um pedaço da bandeira, Spencer, Aria, Hanna e Emily apareceram ao mesmo tempo no quintal da casa dos DiLaurentis com o mesmo objetivo: roubar o pedaço da bandeira de Ali.

E a partir desse dia, muitas outras coisas foram descobertas.

Depois dos incidentes do ultimo livro (Inacreditáveis) as garotas começaram a receber ajuda de uma terapeuta, que tinha como o objetivo, ajuda-las a superar a morte de Alison, ajuda-las a seguir em frente, a esquecer os segredos, os momentos íntimos, tudo. Ela começa dando a ideia de que cada uma das meninas enterre em um saco plastico sua maior lembrança de Alison DiLaurentis, mas é claro, isso não ajudava em nada em relação a -A e todos os reais problemas pelos quais as garotas passavam.

Depois da morte de -A vocês achavam que as meninas ficariam em paz? ERRADO! Após algum tempo, muita investigação e julgamentos, misteriosamente elas voltaram a receber mensagens anonimas. De quem? Ninguém desconfiava.

 Mas como se os problemas de -A já não fossem grandes o suficiente, elas ainda tem seus clássicos dramas familiares. Hanna esta tendo de suportar a presença de sua não tão agradável madrasta e sua diabólica meia-irmã Kate em sua casa, além de um relacionamento não tão saudável com seu namorado, Lucas. Depois de levar meses tentando reconquistar a confiança da mãe, Aria se pega sendo beijada pelo novo namorado de Ella (que Aria acabou paquerando antes de saber que ele sairia com sua mãe), e com as ameaças de -A é obrigada a tomar uma decisão muito complicada. Spencer tem que lidar com o desprezo e desconfiança da família, o ódio de sua irmã e a duvida que o testamento de sua falecida avó trouxe a tona. Emily não sabe mais o que fazer da vida, depois de fazer sua família aceitar finalmente sua opção sexual, se pega brevemente apaixonada pelo “carinha legal da igreja da sua mãe”.

Com certeza Perversas não é o meu livro preferido da coleção, mesmo com uma série de assuntos novos a serem tratados, novos mistérios, novos crimes e segredos e até um novo -A, o livro em sua maior parte chega a ser bem monótono e cansativo. Mas mesmo assim já estou totalmente ansiosa para ler o próximo livro da série, Destruidoras.

A coleção Pretty Little Liars é uma coleção totalmente direcionada ao publico adolescente, que foca muito em problemas normais de um adolescente, e é claro, nos problemas “normais” de Rosewood, mas mesmo sendo a tipica novela americana, a coleção, assim como a série de TV, conquistou um lugar e tanto na minha lista de preferidos!

5 a

5 b

5 c

5 d

5 e

Resenha | Inacreditáveis – Pretty Little Liars #4

Como citado na resenha do terceiro livro da série, Hanna sofre uma tentativa de assassinato por parte de -A, perdendo a memória por algum tempo.

Emily é mandada para o fim do mundo morar com os tios, porque seus pais a pegaram com Maya (Maya é sua namorada, não sei se já citei isso). Ela passa por uns problemas bem bizarros no interior, mesmo sem -A, ela descobre que pessoas de verdade também podem ser muito más. Ela volta, pede perdão aos pais, que a aceitam, ela volta com Maya, mas uma ‘peguete‘ do interior aparece de repente e acaba quebrando toda a relação delas.

Aria, que ainda esta brigada com a mãe, que ferrou com seu namoro com o Sean e etc, é forçada a morar com o pai e com a namoradinha, que acaba anunciando em um certo dia, que esta gravida e que esta pensando em marcar a data do casamento deles (Aria é uma das mais perdidas, coitada).

Spencer e Mona planejam juntas uma festa de melhoras para a Hanna, que morre de felicidade ao ver as duas amigas trabalhando juntas. Nesse meio tempo Spencer descobre que Mona também vinha recebendo mensagens de -A (que ilusora)!

Aria conta sobre -A para a polícia… LIKE… WHAT? Enfim, ela também conta para a Jenna que o acidente foi culpa delas, e Jenna revela que já sabia de tudo e que era um plano desde o inicio para dar uma lição no Toby.

Spencer começa a confiar demais na Mona, contando pra ela todos os seus problemas, com garotos, com a imã e com os pais. Até que uma revelação a deixa totalmente chocada (na verdade todos ficamos)!

Esse é um daqueles livros que te fazem realmente gostar de uma série. Mesmo com a minha dificuldade de lembrar qual parte da história é de qual livro da coleção, nunca me esqueço que essa GRANDE revelação é de Inacreditáveis! A leitura é brevemente melhor do que a dos outros livros da série, e eu super recomendo!

4 a

4 e

4 c

4 f

4 d

4 b