Obrigado, 2014!

3Olá pessoal, depois de uma semana confinada láaaa no interior do Rio Grande do Sul, sem sinal e sem internet (confesso que foi libertador), voltei pra vocês com MUITOS posts atrasados! Mesmo estando sem internet, vale lembrar que no meio do nada, consegui um sinal wifi apenas para liberar o post de natal antes do ano novo (pelo menos isso, né?) hahah. Pra introduzir esse post de despedidas, escolhi uma foto que eu tirei nesse meu tempo de exílio, na minha opinião, minha melhor foto de 2014.

O ano acabou de novo, e fui só eu que achou que ele passou voando? Posso dizer, com todas as palavras, que o ano de 2014 me trouxe coisas incríveis, e foi um dos melhores anos dos últimos tempos (parte disso porque comecei o belo processo de ‘eliminação da puberdade’).

Nesse ‘processo’, que deveria ter um nome especial também, comecei a ver como a vida é especial e magnifica da forma que ela é, como não precisamos de todo o dinheiro do mundo, nem das melhores coisas para sermos felizes. Comecei a olhar para a natureza, para as pessoas que eu amo, para o mundo, com outros olhos, e ver quão incrível é o fato de que temos muito mais do que merecemos (na maioria das vezes).

Esse ano vi meu quarto ganhar um novo visual, vi os móveis antigos, que me davam pavor, desaparecerem, e depois de um tempo vi que não estava sendo grata por isso também. As coisas evoluíram muito nesse ano, também financeiramente (principalmente na decoração da minha casa), e no dia em que meus olhos finalmente se abriram, percebi quão sortuda eu era por ter a vida que tinha.

Acho que em partes, todas as tristezas e decepções da minha vida, se deram em conta da minha falta de habilidade em ver como a vida é linda, como minha família me ama e acima de tudo como Deus é maravilhoso em TUDO que ele me da, em tudo que ele me permite fazer.

Nesse ano criei sonhos novos, novas expectativas, e eliminei alguns mais antigos. Tive meu primeiro trabalho, meu primeiro salário, e vi que de uma forma ou outra soube administrar muito bem tudo isso. Percebi, e ainda percebo, que sou o ser mais ‘mão-de-vaca’ do mundo, e que não gosto de gastar a preço algum, e nem de ver os outros gastando (WEIRD!)

Tentei me libertar de muitas manias, mas algumas coisas nos perseguem pra sempre. Atingi alguns objetivos, mas deixei outros muito importantes para trás. Até escrevi uma listinha de objetivos antes do meu aniversário, da qual realizei mais coisas do que achava que seria capaz.

Para 2015, ainda estou em modo espera. Farei uma lista, uma nova decoração, mudarei os ares do lugar onde eu vivo, mais o mais importante, continuarei mudando a mim mesma. Vou me libertar da neura financeira, que me trás tanto estresse e nervosismo (e até causa algumas brigas), vou amar mais e expressar isso, brigar menos e agradecer mais por coisas pequenas.

Meu objetivo para 2015, acima de tudo, acima de todas as coisas, é ser feliz e viver em paz! Esse é o velho clichê de virada de ano, a paz, que é o que mais falta e o que eu mais preciso.

Enfim, além de todos os problemas, 2014 me trouxe muita felicidade e amor, e só tenho a agradecer, de todas as formas possíveis. Que venha 2015, com o dobro de todas as coisas boas que 2014 teve!

December ♥

fdsfOlá galerinha mais linda da internet (não, não estou tentando puxar o saco por estar totalmente ausente a exatos 7 dias)!

Hoje eu vim falar com vocês sobre o melhor dos 12 meses do ano: Dezembro.

Algumas pessoas podem não gostar por sentirem que o ano passou e nada de bom aconteceu em sua vida, ou que não atingiu nenhum de seus objetivos, mas pra mim, em especial, dezembro é o mês de lembrar como a vida é maravilhosa e como Deus é incrível em nos permitir viver mais um de tantos anos, me faz perceber que acordei, todos os dias, alguns alegres, outros tristes, mas acordei, e toquei a vida em frente.

Nesse ano em especial, dezembro me faz perceber como evolui emocionalmente, espiritualmente e psicologicamente. Me faz ver como meu caráter melhorou, e como aprendi a valorizar as coisas e as pessoas, aprendi a amar.

No dia 06 de dezembro, minha rainha maior assopra as velhinhas, e consecutivamente no dia 22, é a minha vez de ficar mais velha (hoje, nem me preocupo mais com o fato de já ter vivido 17 anos da minha vida e não ver nada de extraordinário nela, hoje eu vejo que tudo tem o seu tempo).

Natal, com seu incrível poder de deixar tudo mais feliz, bonito e em paz, infelizmente, mesmo sendo minha data preferida e a mais especial do ano, não poderei passa-la ao lado do meu amor novamente, mas mesmo assim, estamos ai na atividade hahaha E então a data que eu menos anseio por. A virada do ano, meu aniversário de namoro, e o inicio de mais uma fase, o inicio de outro ano, cujo qual farei diversos planos, e sei que cumprirei menos da metade (realidade gente).

Sei que vocês estão cansados de textinhos longos e expressões de afeto e carinho, de reflexões da vida e demonstração de sentimentos, mas é o que temos pra hoje, apenas a mesma Fernanda de sempre, opa, na verdade hoje, é uma Fernanda diferente, uma Fernanda que enxerga o fim do ano de 2014 como uma época maravilhosa da vida, que da adeus e se prepara para se despedir. Uma Fernanda que anseia pelo futuro, mas aprendeu a valorizar a dadiva que é o presente.

E é essa Fernanda que escreve pra vocês nessa noite! Feliz DEZEMBRO, com tudo que ele trás de bom pra cada um de vocês, em particular, e que sejamos todos felizes, radiantes e gratos no fim dessa jornada chamada 2014!

Sobre Desaparecimentos

Sem títuloNãaaaaaao, não vou falar sobre pessoas desaparecidas, ou sim, depende do ponto de vista, porque vou falar de mim.

Sei que a maioria das blogueiras somem quando estão ocupadas com coisas da vida pessoal, escolar, profissional ou coisas derivadas, e que a maioria dos seus leitores já estão mais do que acostumados com isso, mas, nunca consigo ficar desaparecida sem me explicar.

Sabe quando você está tão acumulada, pra baixo e desesperada que não sabe pra que lado correr? Estou basicamente nessa situação, só que pior. Pior, porque também estou sem dinheiro nenhum, em plena época de halloween, natal e todas essas datas tão consumistas.

O que me deixa mais triste é que eu queria muito fazer uma sessão de posts de Halloween, já que é minha segunda data preferida do ano, depois do natal, mas infelizmente nem isso pude fazer. Eu também queria decorar meu quarto para o Halloween e para o Natal, era meu objetivo para meu primeiro ano empregada, MAS, o que acontece? Não tenho dinheiro nem para comprar o suporte de uma árvore de natal.

Estamos em épocas de provas, entregas de trabalhos e recuperações na escola, e por algum motivo eu me encaixo em todas essas categorias. Inclusive a categoria das recuperações. Algo me diz que não estou dando conta do trabalho 😥

Enfim, eu juro pra vocês, de dedinho cruzado e tudo, que vocês terão um post GIGANTE para comemorar essa data maravilhosa de hoje (vou tirar o atraso de toda uma sessão perdida hahah), e em breve terão um post surpresa super bonitinho e fofo de uma outra data super importante pra mim (expectativa ♥).

Então galeredo, peço mil desculpas como sempre, por ter uma vida corrida e cansativa demais para dar mais atenção pra vocês, mas minha meta das 17 coisas antes dos 17 vai se cumprir, vou postar pelo menos três vez por semana no blog, muito em breve (quando eu tiver uma câmera será de grande ajuda), e gente, eu tenho TANTA coisa atrasada pra compartilhar com vocês (chorei).

Beijinhos e … não vou desejar Happy Halloween ainda (em breve)!

Como viver a vida?

large (3)As vezes é complicado. É cansativo. É conturbado. A vida não é sempre fácil de se viver, fácil de se levar.

Problemas aparecem todos os dias e temos que saber como resolve-los, ou não, como é o meu caso. Problemas em casa, nos relacionamentos, no trabalho, consigo mesmo, eles te consomem dia após dia até você chegar ao ponto de que não sabe mais pra onde ir ou o que fazer.

Eu estou entre diversos dilemas, sempre fui de pensar muito em tudo, mas a maioria dos meus pensamentos sempre foram meio tristes. Nos últimos dias, tudo piorou, penso na tristeza, na dor, na angustia, na desilusão, tudo com uma intensidade muito maior. Nunca fui de poucas palavras, mas minha mente não me da mais tempo livre para pensar em algo a dizer, ela funciona vinte e quatro horas por dia, sem dar descanso um minuto sequer.

Sempre gostei de estar com as pessoas que eu amo, mas ultimamente estou debatendo muito comigo mesma sobre o amor, sobre a intensidade do que eu sinto pelas pessoas ao meu redor e se realmente quero estar sempre por perto delas. Estou querendo me isolar, ir para algum tipo de ilha deserta e ficar deitada encarando a água, por dias e dias a fio, até descobrir as soluções para todos os problemas.

Sei, que para continuar vivendo plenamente, devo ignorar a maioria das coisas que acontece comigo, devo esquecer, perdoar e seguir em frente, devo fingir que não estão acontecendo algumas coisas que realmente me incomodam e de certa forma me afetam, sei que devo sorrir e seguir em frente, que devo pensar em uma solução simples para todas essas coisas que enchem tanto a minha cabeça, mas não consigo.

Esses são conselhos que dou a vocês, pessoas de sabia mente e bom coração, mas que nem a pessoa que vos fala consegue aplicar na vida real. Minha mente é um turbilhão, nada parece cooperar, e só o que eu faço é pensar em saídas impossiveis para problemas incabíveis.

Você pode ser assim como eu, ser doida, frenética e desiludida com a vida, ou pode dar valor as pequenas coisas boas do seu dia a dia, e assim, conseguir ser verdadeiramente feliz, você pode se afastar do que te machuca e se aproximar de quem ama, mas o mais importante, PARAR DE SE PREOCUPAR COM O SEU FUTURO.

Mas lembrem-se, se conselhos fossem sempre bons, eles seriam vendidos (eles são, pelos psicólogos, mas não nesse caso hahah)!

Antipatriotismo?

largeHoje em dia, infelizmente, as pessoas tem aquela ideia fixa de que toda e qualquer pessoa que tenha o desejo ou sonho de viver em outro país não ama sua própria pátria, e isso esta totalmente errado.

Eu, sendo mais do que ninguém, uma dessas pessoas, sei que de correto não existe nada nesse tipo de pensamento hipócrita e ridículo.

Sim, um dos principais motivos pelo qual anseio tanto o dia em que poderei viver em outro país é a falta de qualidade de vida no Brasil. E não venham se defender, pois todos nós sabemos o quanto isso é verdade. A educação é fajuta, somos emburrados com a barriga para crescermos cheios de nós mesmos, burros e ignorantes, e eu sei muito bem disso, pois estudo nessa mesma rede de ensino da qual vos falo, e a realidade é deprimente.

Vivemos em um lugar onde marginais matam, estupram, assaltam, a sangue frio, e após algumas horas saem impunes, ou apenas pagam uma multa. Pois o capitalismo é tão extremo que nós vendemos até mesmo vidas, que nem mesmo são nossas.

Eu não acho que isso tudo seja antipatriotismo, acho que isso é não ser iludido, é ver a realidade. Não, nós todos que sonhamos viver em um lugar melhor, não imaginamos que os outros lugares são perfeitos, sem crimes, sem mortes, sem assaltos e sem defeitos no sistema, mas sim sabemos que os outros lugares estão investindo, tentando, enquanto aqui todos estão muito bem familiarizados com o fracasso, e vivem confortavelmente com isso, sem tentar melhorar.

Isso pode ser antipatriotismo visto pelos olhos de vocês, mas tudo que eu tenho a dizer é que nós queremos viver melhor, respirar um ar limpo, esquecer a porta de casa destrancada e não entrar em pânico, sair na rua em paz, nós não queremos vivenciar o fato de que todos os dias um amigo é assaltado por marginais armados com canivetes, que ameaçam te esfaquear apenas para roubar um celular. Nós queremos criar nossos filhos correndo na rua, queremos que eles tenham o desenvolvimento que nós não tivemos.

Isso, meus amigos, é querer viver melhor, e não odiar o país onde vive. Pois o Brasil me orgulha, e muito, o que não me orgulha são os seres humanos imundos que o governam.

“Maior Idade”

largeAs pessoas em sua grande maioria tem uma visão muito destorcida do que é realmente a “maior idade” e de quando ela realmente chega na vida de uma pessoa.

A maior idade, consiste basicamente em quando uma pessoa se torna responsável pelos seus próprios atos, toma suas próprias decisões e na maioria das vezes começa a trabalhar para ter uma forma de sustentar a si mesmo, mas, o que muitas pessoas não avaliam, é que na maioria dos casos isso ocorre muito antes dos 18 anos de idade.

Hoje em dia, aos 14 anos um adolescente já pode arrumar um emprego, se tornando assim, consequentemente, responsável pelo menos por uma boa parte de suas próprias despesas. Nesse emprego, essa “criança” provavelmente já terá centenas de obrigações, tarefas e atividades que dependem totalmente dela, para o empenho de todo um grupo, de toda uma empresa.

No inicio desse ano, eu compartilhei com vocês minha experiencia de primeiro emprego, mas só agora, 6 meses depois, finalmente finalizei a parte teórica do trabalho, e a alguns dias ingressei na pratica. Podemos dizer que nesse momento, você começa a se sentir “maior de idade”. Você sente o peso das suas escolhas e de suas responsabilidades, vê que diversas pessoas estão contando com você para diversas coisas, e isso é bom, em partes, pois te faz sentir mais seguro, mais prestativo, menos inútil.

Além do mais, em casos como o meu, por exemplo, as vezes a única coisa da qual você ainda dependera de seus pais após sair de casa para trabalhar e trilhar um futuro profissional, será aquela assinatura em um contrato, a presença em uma reunião de pais na escola, e aquela mão na roda para pagar as contas da casa, como água, luz e telefone. Mas no mais, você vai poder se virar com tudo. Vai estar agindo por si mesmo, vai cuidar de si mesmo, pagar suas contas, se auto gerenciar, ser maior de idade, de uma forma completamente ‘ilegal’.

Isso muitas vezes é ser muito mais “maior de idade” do que as pessoas que realmente tem mais 18 anos, muitas das quais não se responsabilizam pelos seus atos, agem sem pensar e até vivem totalmente as custas dos pais. Mas afinal, nesses tempos de hoje, qual o verdadeiro conceito de “maior idade”?

Happy Birthday to US ♥

large (3)Meus parabéns para todos nós nesse dia SUPER especial! Em pensar que a exatamente 1 ano atrás eu estava pensando em levar o blog mais a sério, e exclui minhas contas no Blogspot, com o objetivo de me mudar de vez para uma plataforma mais acessível.

Hoje completamos um ano de muita literatura, textos, desabafos, resenhas e reviews, de todos os tipos de filmes e livros possíveis. Um ano de reações das mais diversas ao assistir um episódio de uma nova série ou um filme novo no cinema.

Para comemorar, nada melhor do que reler o primeiro post da Fernanda totalmente inexperiente, de 15 aninhos, inspirada, motivada e empolgada com a chance de finalmente ir em frente com seu blog!

primeiroErros de ortografia, muito menos dicção (existe dicção escrita, não existe? hahah), essa era a minha pessoa hahah. Me orgulho de quem eu era quando escrevi esse post, mas me orgulho infinitamente mais de quem sou agora. Aquela menina birrenta, teimosa, orgulhosa e narcisista, não existe mais, agora, tenho mais paciência, expresso meus sentimentos, sei que cada momento é único, dou valor ao que tenho, inclusive ao blog e a todos vocês que me acompanham.

Só tenho a agradecer, por esse nosso primeiro ano de conquistas e inspirações! Feliz aniversário para todos nós!

Father? Padre? Vater? Pai?

largePrimeiramente, feliz dia dos pais a todos os pais que podem vir a ler isso um dia! Por segundo, espero que todas (os) vocês que tem a chance de falar com seu pai, não importa qual o meio, tenham de alguma forma desejado feliz dia dos pais para ele.

E por último, quero meio que fazer um desabafo.

Você já percebeu o poder das datas comemorativas? Aproximam filhos de pais e mães, aproximam namorados, marido e mulher, aproximam até mesmo os pais dos filhos. Fazem com que de repetente todos esqueçam de todas as suas contas e resolvam ser gentis e caridosos ao presentearem todo mundo. Mas qual o objetivo disso tudo exatamente?

O dia de hoje é um exemplo. Filhos que nunca se dão ao trabalho de ligar para o pai, nem que seja ao menos para ouvir um “Estou bem, obrigado!”, filhos que sempre reclamam de tudo que os pais fazem, mas nunca enxergam seus pontos positivos, todos esses filhos, reservaram algumas horas para comprar um presente, escrever um bilhete, almoçar com aquela pessoa que ela nunca liga, não demonstra qualquer afeto ou amor, mas nesse dia se sente na obrigação de parabenizar.

Fico um pouco machucada nessas datas comemorativas, pois sempre acabo percebendo o quão ruim eu posso ser como pessoa, filha, irmã ou até mesmo namorada. Percebo que posso vir a ser um desses filhos que descrevi a cima, e também que tenho pouco tempo e muito amor para demonstrar pelos meus entes queridos, mas ao invés disso, estou desperdiçando, estou ignorando chamadas e deixando pra depois, estou sendo aquele tipo de pessoa que só diz eu te amo em ocasiões especiais.

As datas comemorativas, também servem para isso, para nos trazer um pouco a realidade, para nos fazer sentir esse amor, esse afeto novamente, para nos lembrar que somos e dependemos de certas pessoas nas nossas vidas, e isso nunca vai mudar, então devemos aceitar o fato e seguir vivendo, amando, e demonstrando isso cada vez que acharmos necessário!

Volta as Aulas!

large

Olá! Devo dizer que, na realidade não tenho nada a dizer, já que no meu último post dei basicamente toda a explicação pela minha ausência possível, mas mesmo assim, motivos maiores e piores acabaram aparecendo. Exemplo? Escola.

Por que? Por que as aulas tinham que voltar? Depois de duas semanas de muito sono, sono e mais sono, com intervalo apenas nas minhas 4 horas de trabalho diárias, infelizmente tive que voltar as aulas.

E o pior? Com mil trabalhos para entregar, sem ter feito nem metade dos mesmos, com provas pra fazer, sem ter estudado por nenhum momento, entre outras centenas de coisas (nem meu uniforme eu tinha lavado ainda, pois é, como assim?).

Enfim, minha primeira semana esta sendo bem calma até, pelo menos mais do que imaginava. Fiz uma maquete inteira em apenas um domingo (para entregar segunda), tenho um livro de literatura para apresentar semana que vem e ainda nem comecei a ler (Dom Casmurro ♥), passei horas ontem estudando para uma prova de matemática na qual fui extremamente bem (isso é perfeito pra quem ficou em recuperação no 1º trimestre), ainda tenho provas, trabalhos variados e apresentações para fazer, mas uma coisa de cada vez, por favor!

E NOVIDADE: fiz a matricula do meu curso de inglês ontem, mais um item realizado da minha lista de desejos para 2014! ♥

Bloqueio Criativo !?

Tem coisa pior do que ficar sem ideias? Pois é, vocês devem ter percebido que eu estou bem sumida por aqui, e o pior é que dessa vez não é por falta de vontade, falta de tempo ou algo do gênero, mas sim por FALTA DE IDEIAS.

Eu juro que achei que isso nunca aconteceria comigo, já que sempre fui uma caixa de ideias ambulante, mas sim, esse dia chegou, e confesso que estou no minimo triste.

Procurei no youtube sobre isso e acabei vendo que diversas blogueiras e vlogueiras já tiveram bloqueios criativos diversas vezes, e isso me acalmou um pouco, confesso também.

Pensei em falar sobre minha rotina escolar, sobre os milhões de trabalhos pendentes, provas de recuperação e deveres de casa acumulados que eu tenho pra fazer, mas já é chato demais ter que viver isso, então imagina escrever sobre.

Enfim, vocês já entenderam a minha crise existencial da semana, não é? Me deem uma chance ai gente, não sei mais o que fazer com esse meu cérebro hahah

Agora fiquem com um vídeo de minha amada Gabbie, falando sobre sua temporada de Bloqueio Criativo 😦