Nunca é tarde demais

Eu sou a prova viva de como nós vivemos em um mundo e criamos uma ideia em nossas mentes, de que se não formos ricos, famosos, maravilhosos ou ‘alguém na vida’ antes dos 30, estamos perdidos. Mas muitas coisas provam que não é bem assim.

Muitas vezes pensamos em desistir dos nossos sonhos pois achamos que já é tarde demais pra lutar por eles, mas hoje eu vim dizer pra vocês que não, nunca é tarde demais, sempre é tempo, e sempre será a hora certa pra lutar pelos seus sonhos.

Hoje eu li um texto no facebook, que acendeu uma chama em mim que não brilhava a muito tempo, e que me trouxe a tona todos esses pensamentos e reflexões, de como nós somos jovens, e de quanto tempo ainda temos e quanta estrada ainda percorreremos.

Leiam e reflitam!

“Aos 23, Tina Fey estava trabalhando na YMCA.

Aos 23, Oprah foi demitida do seu primeiro trabalho como repórter.

Aos 24, Stephen King era zelador e vivia em um trailer.

Aos 27, Vincent Van Gogh falhou como missionário e decidiu ir para a escola de arte.

Aos 28, J.K. Rowling era uma mãe solteira suicida vivendo de bolsa auxílio.

Aos 28, Wayne Coyne (da banda The Flaming Lips) era fritadeiro em uma lanchonete.

Aos 30, Harrison Ford era carpinteiro.

Aos 37, Ang Lee era um pai caseiro que trabalhava em bicos.

Julia Child lançou seu primeiro livro de receitas aos 39, e teve seu primeiro programa de culinária aos 51.

Vera Wang falhou ao tentar entrar na equipe olímpica de patinação artística, não conseguiu a posição de editora-chefe na Vogue, e desenhou seu primeiro vestido aos 40.

Stan Lee não lançou sua primeira história em quadrinhos até completar 40 anos.

Alan Rickman desistiu da carreira de design gráfico para prosseguir atuando aos 42.

Samuel L. Jackson não conseguiu seu primeiro papel em um filme até completar 46 anos.

Morgan Freeman estreiou seu primeiro grande filme aos 52 anos.

Kathryn Bigelow apenas alcançou sucesso internacional quando ela fez Guerra ao Terror aos 57 anos.

Grandma Moses não começou sua carreira como pintora até completar 76 anos.

Louise Bourgeois não se tornou uma artista famosa até completar 78 anos.

Seja qual for seu sonho, não é tarde para realizá-lo. Você não é um fracasso por não ter conseguido fama e fortuna aos 21. Quer dizer, está tudo bem mesmo que você nem saiba qual é seu sonho ainda.

Nunca diga a si mesmo que você é velho demais para isto.

Nunca diga a si mesmo que você perdeu a chance.

Nunca diga a si mesmo que você não é bom o suficiente.

Você consegue. Seja lá o que for.”

(post original por Drew Forrester)

12 cartas em 12 meses | Mês 3

Sei que março já passou faz tempo, e que o blog ta quase juntando bolas de feno, mas não queria abandonar  esse projeto por nada, então decidi voltar a escrever essas cartinhas antes do final de abril.

A carta de março é uma carta de agradecimento. Espero que gostem!

“Confesso. A vida esta corrida, difícil, confusa, principalmente nos últimos dias. Mas sempre tento pensar que em todo canto existem pessoas em situações piores, e acabo indo de ‘pessoa reclamando’ para ‘pessoa agradecendo’.

Sei que faz tempo que não dedico um tempo pra isso, pra me ajoelhar e agradecer pela vida, ou pelos novos amigos e pelo fato de estar tão feliz, e fico triste por esse agradecimento ser em forma de carta e não de palavras faladas, mas mesmo assim já é muito melhor do que nada, não é mesmo?

Eu te agradeço pelo sol, o qual eu aprendi a apreciar, e que desde então começou a tocar a minha pele com um toque suave e gentil, me acariciando nas tardes de verão. Mas também agradeço pelo frio, o qual sempre me trás uma alegria fora do normal. Agradeço pelas amizades que foram colocadas no meu caminho, pelas pessoas incríveis que eu venho conhecendo. Eu poderia reclamar por conhecer boas pessoas agora que terei que abandona-las, mas prefiro agradecer, por pelo menos uma vez na vida, poder dizer que tenho amigos.

Eu agradeço pelos sorrisos, pelas gargalhadas e pelos passeios. Agradeço pelos amores que já se foram, mas que somaram de uma forma inimaginável. Agradeço pela família, que mesmo sendo, você sabe, da forma que é, ainda é uma família afinal de contas. Agradeço pelo meu emprego, que também não é o melhor, mas quando visto tantas pessoas na rua em busca de qualquer oportunidade que seja, se torna um emprego de princesa.

Te agradeço pela vida, peço perdão pelos erros, que são muitos, eu sei. Mas quem seriamos nós, seres humanos, sem reclamarmos do que temos? Desejarmos o que o outro tem e desperdiçar o dom que é a vida?

A ti sou extremamente e eternamente grata. Amém!”

 

Ame-se. Liberte-se.

hihh

Quando o mundo fica sem chão, o sol fica sem luz e o céu fica sem cor, olhamos para nós mesmos com olhos que pouco veem. Encontramos defeitos em nós mesmos, que muitas vezes eram do outro, e não nossos, e tudo que sabemos fazer é mergulhar no profundo poço de solidão e melancolia que nós mesmos construímos.

Todo mundo acha ridículo, ri e faz piadas de pessoas com o coração partido, porque alias, que tipo de pessoa dramática entra em depressão ou fica a beira disso por outra pessoa?

Mas ai, meu amigo, chega o dia em que essa dorzinha vai chegar pra te dar um oi. A saudade. Ó, a saudade. Ela é como uma faca afiada, que corta, profunda e vagarosamente. As lembranças reaparecem todos os dias, a todo momento, sua própria mente luta pra te deixar infeliz. Enquanto você luta pra se levantar e pra colocar na cabeça que você é você e não precisa de mais ninguém.

Alias, isso é se amar, não é? Sentir-se 100% completo, cheio, preenchido, sem a ajuda ou a presença de alguém. Se olhar no espelho e ver que aquela pessoa merece toda a felicidade do mundo, e que não importa quantas sejam as lembranças boas, as ruins foram fortes o suficiente pra fazer acontecer o que aconteceu.

Um coração partido não pode dar conselhos a outro, mas se minha palavra vale de algo, erga a cabeça, foque no seu maior objetivo, no seu maior sonho, e corra atrás dele, como se nada e nem ninguém pudesse te impedir de alcança-lo, e como se você não precisasse de ninguém pra te ajudar. Porque no fim das contas, meu amor, você não precisa.

 

12 Cartas em 12 Meses | Mês 2

mlmm

TEMA: Uma carta para um personagem fictício.

“Querida Rachel,

Eu sempre sonhei em sentar frente a frente com você e ter uma longa conversa sobre nosso sonhos e sobre como era bom superar os obstáculos, lutar por eles e conquista-los, mas como isso nunca foi possível, resolvi escrever essa carta pra expressar tudo que eu sinto e fingir ter uma conversa agradável com você.

Sempre admirei muito a sua personalidade e o seu jeito de ser, o modo como você é 100% focada e centrada no que quer, e como luta com todas as forças para conseguir essas coisas. Parabéns por ser a pessoa que você, e por nunca ter se deixado abalar ou colocar pra baixo por todas as coisas ruins que os outros te diziam.

Eu super entendo esse nosso probleminha de superioridade e de controle de tudo e todos, sempre tive o mesmo problema, essa vontade louca de fazer tudo do meu jeito, porque é claro, do nosso jeito é SEMPRE melhor hahah

Eu também canto, assim como você, é claro que não tenho nem metade do talento que você tem, quem me dera, mas é uma paixão que eu carrego comigo bem guardadinha desde pequena. Sempre fui meio tímida em relação a isso, ouvi muitas críticas e resolvi me calar. Sei que você jamais fez isso, e jamais faria, mas isso tudo foi mais forte que eu e eu não pude evitar me calar após ouvir tanta coisa negativa.

Mas você quer saber o que realmente fez com que eu me identificasse tanto com você? A nossa aparência. A coisa menos importante, que deveria passar despercebida no meio de uma personalidade e um talento tão puro, mas que todo mundo nota, e acaba fazendo piada de mal gosto ou falando coisas inúteis. É que fica difícil quando isso esta bem no meio do nosso rosto, não é mesmo? Aquela vez em que você tentou fazer a cirurgia plástica, eu super te apoiei e te entendi, porque todos ao meu redor falam a mesma coisa que os seus amigos lhe falaram, que era loucura, que eu sou única como sou, pois é, eles só falam isso porque o deles é perfeito. Minha ideia de mudar o meu ainda persiste, sei que você é a pessoa que conseguiria me fazer mudar de ideia, depois de tudo que passou e tudo o que lutou, mas como não podemos conversar, as coisas ficarão assim mesmo.

Eu sempre me prolongo muito nas minhas cartas e me demoro nas conclusões, mas nessa tentarei ser diferente. Eu te escolhi pra escrever essa carta, pois sempre te admirei, e espero um dia poder ser 1/3 do que você sempre foi, e suportar tudo o que você suportou de cabeça erguida.

Meus parabéns pela pessoa que você é, pelo seu talento, sua força, sua perseverança, mas principalmente por lutar por aquilo que você ama, e por todo o seu amor nisso.

Um beijo, e nos encontramos por ai!”

  • Carta escrita a Rachel Berry, protagonista da série Glee.

 

12 Cartas em 12 Meses | Mês 1

mlmm

Tema: Uma carta para você no passado, há dez anos atrás.

“Querida Fernanda, tudo bem com você?

Não se pergunte como eu sei o seu nome, ou tantas coisas sobre sua vida e sobre sua família, porque no final tudo ficará devidamente explicado.

Minha função hoje, é vir de bem, mas bem longe mesmo, falar com você, ter um papo de amigas, e te ensinar coisas que podem parecer inúteis agora, mas que quando você tiver a minha idade, vai ver o quão necessárias elas eram.

Hoje você tem 8 anos, mal começou a escola, mal fez novos amigos, ainda não sabe quem vai ser seu amigo de verdade e quem não, mas na verdade nem pensa muito nisso, você aproveita a sua infância, brinca, corre, e eu me orgulho muito disso em você, da inocência e da pureza de ser apenas a criança que você é. Você esta de parabéns pela criança que  você se tornou, meio teimosa, meio birrenta, mas em 90% do tempo, a melhor criança que uma mãe poderia querer ter como filha.

Como por agora você está em uma ótima situação, meu conselho e suporte pra você é mais direcionado aos anos que ainda estão por vir. Sua pré-adolescencia, até você ter a idade que tenho agora, 18 anos.

Dê valor a sua família, passe tempo com eles, grave cada minuto e aproveite cada instante, porque a saudade, ah, a saudade, é um sentimento que você não pode afastar, que te corrói, que te destrói, e o arrependimento do tempo que você passar longe da sua família, do tempo que você passar trancada no quarto apenas sendo uma adolescente rebelde, também não vai passar, e a cada memória do passado e cada saudade você vai pensar “por que eu não aproveitei mais?” e a resposta vai ser sempre “porque eu não quis”.

Amigos vão e vem, e vai por mim, eles não vão estar ali por você quando você precisar, essas pessoas que você conhece e convive agora, na escola, você só vai ouvir notícias delas, e suas melhores amigas? Não vão nem lembrar seu nome, ou das conversas que vocês tinham.

Então, baseado nisso, sempre preserve o amor e o afeto a família. Ah! Visite o papai, ele te ama, ele te quer por perto, ele sente a tua falta, não é culpa dele não saber demonstrar isso, ele é só.. você sabe, um homem complicado. Mas depois não vai adiantar chorar sobre o tempo perdido, e nem perceber que quando for embora, não terá lembranças com ele para contar. Abrace, ignore os erros, esqueça o dinheiro, a ganância, demonstre afeto, mude!

Amizades e relacinamentos são como plantas, devem sempre ser regadas, cultivadas e muito bem cuidadas para continuarem dando frutos, então não se esqueça de fazer isso, e não será a menina solitária de 17 anos que passa o intervalo dormindo na sala de aula. Parece triste, não é mesmo? Se quiser se afastar dessa realidade, meu conselho é, quando namorar, não se afaste dos amigos, não os distancie, porque quem sabe um dia nesse breve período de tempo, você ainda precise deles pra te fazer companhia.

Sei que já falei demais, mas sei que você ama ler e que vai ler tudo isso com muito amor e carinho, e que vai gostar do que esta lendo, como gosta de praticamente tudo. Então, além de todas as coisas ditas anteriormente, jamais se esqueça de AMAR, por favor, me prometa isso, ame seus irmãos, aproveite o tempo com eles, veja os primeiros passos, as primeiras palavras, abrace quando for preciso, agradeça a sua mãe, aliás, ela é o seu anjo na Terra, passe tempo em família, pois eles formam as melhores lembranças e geram os melhores sentimentos.

Adeus e tenha uma boa vida, se não por você, por mim, obrigado! Ah e quem eu sou? Eu sou você, só que com uma bagagem muito maior.”

Todos Contra UM

book-girly-inspiration-book-memories-photo-Favim.com-219969Um belo dia acordei com vontade de tirar os sonhos da caixinha, coloca-los em prática, fazer com que a vida deixasse de ser um filme do qual eu nem sou a diretora, e então sai e gritei aos sete cantos o quanto eu sonhava alto e o quanto eu amava a vida.

E o resultado de todo aquele barulho foram pessoas negativas, pessoas pelas quais vocês só sente amor, que nunca desejou o mal, essas pessoas te sufocam, sufocam seus sonhos, te colocam pra baixo, te dizem não, criam histórias e suposições e chegam a conclusão de que sua vida será uma desilusão sem fim e de que o melhor jeito é o jeito deles.

O jeito deles é ficar quietinho, evitar mover o mundo, evitar mover a vida, deixar aquele fluxo planejado pela sociedade ir te levando, diretamente da escola para a faculdade, mesmo que você não saiba o curso que quer, depois para um emprego infeliz, porque aliás, se a faculdade em si já era infeliz, como exercer aquilo que aprendeu seria algo bom, não é mesmo? E ai a vida se passa, ano após ano, em um sobradinho no centro da cidade, aquela mesma cidade, que você sonhou tanto em deixar pra trás, como a sua cidade natal, mas não a que você ainda vive depois de anos. E esse é o plano bem traçado e seguro que o mundo joga sobre você. Uma história a qual você não se interessa nem um pouco em ler o final, uma história chata, um livro tão entediante que poderia simplesmente ser abandonado no fundo de uma prateleira mofada.

Se a sua vida fosse um livro, você o leria? Esse é o pensamento que deve nos guiar, cada decisão, cada escolha, cada luta, cada adversidade e cada pedra, ou pessoa no caminho, isso tudo vai formar um bom capitulo nesse livro? Se sim, não pense duas vezes, se jogue. Um bom autor não se inspira em livros mofados, livros que nunca nem sequer foram lidos. Um bom autor, escreve a própria história.

 

E agora?

futureOlá meninas e meninos mais bonitos da internet brasileira! Tudo bem com vocês? Eu espero que sim, já que eu estou mais gripada do que já estive em toda a vida e não consigo respirar uma partícula de ar sequer.

Eu sei que já faz algum tempo que não apareço por aqui (culpem as 20 provas e trabalhos que eu tive esse trimestre), mas finalmente nessas últimas semanas de aula posso voltar correndo de braços abertos pra vocês!

Mas enfim, não é sobre isso que eu quero falar com vocês hoje. O foco hoje, é compartilhar as minhas duvidas sobre o futuro com vocês.

Estamos em novembro, praticamente final de ano, menos de um mês para o meu aniversário de 18 anos e também menos de um mês pro natal. Nem parece né? Mas enfim, vocês sabem que nesses últimos meses rolaram todos os tipos de vestibulares possíveis, e isso esta me deixando doida.

Todos os coleguinhas colocando aquela bixarada no Facebook, com faixas e etc, enquanto eu nem sequer fiz os vestibulares.

MAS UÉ FERNANDA, POR QUE VOCÊ NÃO FEZ OS VESTIBULARES?

Porque como vocês sabem ano que vem é o ano do meu tão esperado intercâmbio, e eu não poderia fazer vestibular nenhum sendo que não ingressarei na faculdade ano que vem. Mas e o que se faz com o aperto no coração?

Aperto pelo medo do futuro, medo de que as coisas deem errado, medo de que tudo evapore ou algo ruim aconteça, medo de que todos prossigam e eu fique. Sei que é viagem, mas todos viajamos de vez em quando. Certo?

Desejo uma ótima noite de quinta-feira pra vocês, com muito amor, paz, carinho, e principalmente pra quem esta na mesma situação que eu, a certeza de que tudo vai dar certo, e de que existe uma luz bem brilhante e mágica no fim do túnel!

Amo vocês!